Circo e Vergonha


“Por quanto tempo ainda haveremos de tolerar políticos e governantes e suas distorcidas e doentias prioridades, investindo no ‘circo’, em detrimento da cultura e educação?”

Amo meu país tropical e bonito por natureza... Com suas praias douradas... Que beleza!

O que me entristece é o desmando, a negligência e o pouco caso com que nossas autoridades tratam o bem estar da população. As desigualdades estão em todos os lugares e os lamentos na boca do povo. Mas, nunca chegam aos ouvidos dos que governam este imenso país.  Afinal, estão preocupados com a Copa e as Olimpíadas...

Agora teremos a “caxirola” (novo para mim até então), anunciado como símbolo da Copa 2014 numa exposição chamada “O olhar que ouve” - o pandeiro, em minha modesta opinião, tem ginga e combina mais com a cara do Brasil. O novo instrumento será a bola da vez... Quantos desse serão fabricados? Certamente, nesse período serão gerados muitos “empregos” e as vendas prometem... Mas, a que preço?

Nesta apresentação o autor do trabalho expõe o que pensa, de forma inteligente e pontual, levando-nos a uma reflexão mais aprofundada sobre a armação da tenda para o espetáculo circense que se avizinha... Vale a leitura!

Melhor visualização na tela cheia (full screen). Clique Play e a letra "F" no teclado!
Leia no seu ritmo com a rolagem manual dos slides.

Formatação: um_peregrino 
Fundo Musical: ‘Sonata ao Chiado Antigo’, de Silvestre Fonseca

2 comentários:

  1. Yolanda, minha amiga, os bochichos chegam sim, nos ouvidos dos políticos, mas eles não têm interesse em fazer ações que beneficiem o povo. Afinal, para quê? Certamente não vai gerar lucro para os bolsos interesseiros de gente eleita para proteger os interesses de quem mesmo?
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Yolanda,acho interessante o incentivo ao esporte, à geração de empregos, o problema é que as prioridades emergenciais são outras. A saúde, algo de sua importância para o bem estar humano, poderia estar ganhando novos e modernos hospitais, estruturas que beneficiariam muitas pessoas por muito tempo...é mesmo lamentável. Um abraço!

    ResponderExcluir