O abraço da leoa

"Saudade é o revés de um parto. A saudade é arrumar um quarto para um filho que já morreu." (Pedaço de mim, Chico Buarque de Holanda)

Assim como na foto, eu protegia minha saudosa filha Aline, com zelo, cuidado, dedicação e muito amor... Uma linda moça que, como no filme Garota Interrompida, enfrentava a dificuldade de interagir numa sociedade que cobra padrões “normais” de comportamento...

Um mês da travessia de Aline para a Eternidade, ela permanece viva em minha mente e coração! Na mensagem que segue, um pouco dela: como era seu modo de ser e o que ela conquistou com muita garra e força de vontade para vencer os obstáculos da doença que a acometia - uma luta durante 16 anos superando barreiras quase que intransponíveis para manter-se equilibrada.

Mas... Não foi essa a razão que a levou. E, sim, um pós-operatório de uma cirurgia que parecia simples!? Porém, não quero aqui achar desculpas para o ocorrido – o TEMPO dela estava marcado, tão efêmero quanto uma lufada de vento no rosto... 



04.07.1980 – 01.05.2012
(30 dias passaram, desde que meu anjo alçou voo...)

O blogue Minha Vida, Meu Caminho era escrito a quatro mãos e nele tem registrado algumas passagens da história de Aline...

Tributo à filha amada



“A branda fala da morte não nos aterroriza por nos falar da morte. Ela nos aterroriza por falar da vida.”
 (Rubem Alves)

Quando nos deparamos com a morte de um ente querido ficamos completamente paralisados e a sensação é de que jamais conseguiremos viver como antes.  Sentimos o chão se abrir e todas as nossas crenças ruírem. O mundo, que parecia um lugar seguro, já não parece mais. De fato uma perda, seja ela de que modo for sempre acarreta uma sensação de impotência e impossibilidade, ainda que momentânea, de sobrevivência.

Embora a morte faça parte do ciclo do desenvolvimento, o ser humano luta durante a vida pela ideia da imortalidade, e tenta negar qualquer possibilidade de perda das pessoas amadas. Quando a morte acontece, a sensação de dor é tão grande que temos a impressão de que tudo que está acontecendo é parte de um pesadelo e que em breve, passará. A tarefa mais difícil é constatar que o sonho é real e que é impossível fugir dele.

As pessoas que perdem alguém que amam, realizam um grande esforço para lidar com o sofrimento, para dar sentido ao acontecimento e para encarar a realidade tal como se coloca. A vivência de uma perda que afeta a vida de uma pessoa para sempre é chamada LUTO.

Autoras: Ana Lúcia Naletto e Lélia de Cássia Faleiros Oliveira

Os parágrafos acima são fragmentos de um folheto distribuído no velório, onde meu anjo foi velado. As palavras expressam aquilo que estou sentindo neste momento de dor extrema... Ainda em choque, rascunho estas linhas, pois devo esta homenagem à filha que tanto amei e cuidei. Que os anjos a embalem e que ela possa descansar na Eternidade.

Chega o dia em que a Mãe Amorosa abre a gaiola da ave do Espírito e diz:

 “É chegada a tua hora... Voa!” 

video
Aline Hollaender (04/07/1980 – 1º/05/2012)

Você pode até dizer que agora não tem jeito, que é grande a dor aí no peito. Pode até sentir-se como pó da terra... Mas, quero te dizer que ainda és filho meu; não pense que seu velho amigo te esqueceu. Eu posso estar calado, mas estou te vendo. É do pó que eu faço um vaso valoroso. Filha, tu és pra DEUS UM VASO PRECIOSO. POR ONDE TU ANDARES, ELE ANDARÁ CONTIGO. VOCÊ TEM QUE ENTENDER: FOI DEUS QUEM TE CHAMOU E NO MEU DIA DE BATALHA, ELE NÃO TE DEIXA SÓ, TENHA FÉ! Meus sentimentos, Kate do Vanderlei Cabelereiro.

A todos aqueles que têm enviado mensagens tão lindas quanto esta (a primeira de muitas outras); telefonemas de pesar; torpedos, visitas; e-mails; publicações nas redes sociais... Agradeço o carinho e conforto recebidos nesta hora de aflição. Aceitem todos, minha sincera gratidão!