A espetacular beleza do Cisne


Sempre que vejo cisnes, lembro-me da história do patinho feio, que sofreu muito até que um belo dia cresceu e descobriu a verdade sobre si próprio: ele não era um pato feio e diferente dos outros, era na verdade um lindo cisne. Desde então, todos passaram a admirá-lo e a se curvar diante de sua beleza.

Outra referência sobre cisnes é o filme O Cisne Negro: Nina é a bailarina principal do Balé da Cidade de Nova Iorque, e vê-se numa teia de intriga competitiva com uma bailarina que acaba de chegar à Companhia. Uma viagem excitante e por vezes aterradora através da psiquê de uma jovem bailarina cujo papel de Rainha dos Cisnes resulta num desempenho para o qual ela se torna assustadoramente perfeita. 

Ambas as citações têm caráter psicológico e pedagógico. Na primeira, é um estímulo para que ninguém se sinta feio, pois a beleza desponta no momento certo. Na segunda, é um alerta à obsessão em busca da perfeição – todos nós somos vulneráveis...

Aprecie as belas fotos destas aves exuberantes que, entrelaçadas, representam o amor eterno!



Formatação original: Tamy - Versão adaptada (procurando autoria)
Fundo Musical: Forever in Love, instrumental
PPS enviado pela amiga Nadia

As cores do mar

Imagens de criaturas aquáticas, que vivem nas profundezas do mar, seres bonitos, exóticos, estranhos, bizarros, que parecem pinturas...

Aprecie!


Fundo musical: Son of the Light, Mike Rowland
Formatação: Zeepracht PPS

Em falando em mar... Nada melhor que lembrar um pouco do extraordinário compositor baiano, Dorival Caymmi, “O amante do mar”, nascido em 30 de Abril de 1914 e falecido em 16 de agosto de 2008. Foi um dos criadores gigantes da música brasileira.

Tranquilidade seria uma palavra perfeita para descrevermos esse grande contador da vida, muitas vezes trágica, mas contada por ele de forma suave, pura, simples.

Como cantor, Caymmi seduzia pela voz grave - doce e profunda como o mar que ele tanto louvou nos temas praieiros. Foi o melhor intérprete de sua obra, gravada por todos os grandes nomes da MPB. E foi também um mestre no violão.

Caymmi, nos seus 94 anos de vida, deixou um acervo com mais de 100 canções.

“O mar
Quando quebra na praia
É bonito, é bonito...”

Site oficial de Dorival Caymmi: http://www.dorivalcaymmi.com.br/sitebiografico/



A arte de estar com o outro

Homenagem ao Formatador 


“Há um milagre chamado amizade.
Você não sabe como ela aconteceu, ou quando começou,
Mas você sabe a alegria que ela traz
E percebe que a amizade é um dos dons mais preciosos que Deus nos concedeu.
Amigos são jóias preciosas, realmente. Eles nos fazem sorrir
E nos encorajam para o sucesso.
Eles estão sempre ali para nos ouvir, para nos elogiar
E estão sempre de corações abertos para nos receber.” 
(Ana Chiavaioli)

Ana Chiavaioli
Neste mês, minha homenageada é a adorável Ana Lúcia Chiavaioli, com seu estilo inconfundível. Suas formatações sempre trazem textos excelentes, que nos levam à reflexão.


Gostei muito da forma como Ana Lúcia me recebeu, extremamente atenciosa e receptiva. Esta homenagem é minha gratidão pela pessoa linda que ela é.


Leia sobre o que ela contou sobre seu interesse pela formatação de slides!

As primeiras formatações vieram da vontade de tornar as aulas de Microbiologia mais atraentes. Minha formação acadêmica é Biologia (Mestre em Microbiologia) e achava cansativo para os alunos. Resolvi, então, dar vida ao conteúdo. Foi ótimo!

Aposentei e... Comecei a formatar, um aqui outro ali, o retorno começou em uma atividade despretensiosa.

Hoje, não consigo ficar longe dos textos e das formatações. É incrível! Passou a fazer parte  do meu ar. É uma sensação ímpar vestir um bom texto - parece dar moldura a um quadro.

Tenho consciência de que muitos não gostam, mas vou seguindo e, principalmente, respeitando a obra desses extraordinários poetas e escritores que nos sacia a sede de ler.

Amo muito tudo isso!

Bjs
Ana Chiavaioli

Abaixo, um dos belos trabalhos de Ana. Aprecie!



Melhor visualização na tela inteira (full screen)
Formatação: Ana Lúcia Chiavaioli
Fundo musical: Sonata ao Luar, Dilermano Reis

Leia, ainda, sobre outras formatadoras encantadoras que receberam minha homenagem neste blogue:

Vani Castro, com seu belo trabalho O Som da Terra 
ZzCouto, com a graciosa apresentação Vem Amor
Rosa da Luz, com o excelente slide Milagre

Pai, Pai, Beijo, Beijo


“Pai é quem se anula na obra que realizou e sorri sereno,  por tudo haver feito para deixar de ser importante. Mas, inesquecível.” (Artur da Távola)

A figura de meu saudoso pai ficará sempre eternizada em minha memória: um homem tranquilo, de fala pausada, trabalhador e que gostava de filmes de faroeste. Muito respeitoso e defensor dos bons princípios e educação.

Está na minha retina uma passagem, quando eu tinha uns sete anos meu pai com uma nota de CR$1,00 (um cruzeiro na época) pediu para que eu comprasse pão na vendinha próxima de casa. Fui, e como eu vi que também dava para comprar algumas balas, o fiz sem culpa. De volta, em casa, ele me pediu o troco e eu, sem graça, menti que não tinha sobrado dinheiro algum. Ele fez os cálculos comigo e entendi que não podia enganá-lo. Fui repreendida, mas aprendi a lição e não fiquei traumatizada.

A você, meu pai, meu beijo e meu carinho... E minha saudade!

Desejo a todos os homens que têm filhos, um feliz Dia dos Pais!


Melhor visualização na tela inteira (full screen)
Formatação: Isa Quintanilha
Fundo musical: You raise me up, Josh Groban

Nos anos anteriores, publiquei Filhos são como navios, e Ao pé do farol não há luz, lindas apresentações que valem a leitura. 

Envelhecer


“Envelhecer é o único meio de viver muito tempo.”

Em minha incansável e sempre atenta pesquisa na internet, procurei pela confirmação de autoria das citações que acompanham esta apresentação. 

Embora eu tenha dúvida sobre os créditos do referido autor, encontrei pérolas!

Desde a biografia de Albert Camus (1913-1960), escritor, novelista e filósofo argelino; seu texto publicado no blogue Encontrando Você, na página Envelhecer, inevitável paradoxo; até um áudio com a prosa poética na voz de Carlos Alberto de Oliveira, publicado no Recanto das Letras.

De qualquer forma, a leitura dos slides é encantadora... Aprecie!


Melhor visualização na tela inteira (full screen)

Fundo musical: Till, Roger Williams
PPS enviado pela amiga Shirley

Outra apresentação bonita que publiquei foi Não Sei, com trabalhos de Marcel Reynaert, e o ótimo texto de Cora Coralina, com a linda citação “Feliz é aquele que transfere o que sabe... E aprende o que ensina.”

O som do silêncio

O Silêncio e Solidão, Leonor Botteri



“Aprende com o silêncio que a solidão não é o pior castigo, existem companhias bem piores...”









Sabiamente escrito, o autor Paulo Roberto Gaefke propõe que se aprenda com o silêncio a ouvir os sons interiores da alma, calar-se nas discussões para evitar tragédias e desafetos.  

Resolvi publicar porque é um texto que leva à reflexão...


Melhor visualização na tela inteira (full screen)
Formatação: Val Ruas
Fundo musical: The sound of Silence, Zamphir
PPS enviado pela amiga e artista plástica Nadia Wolk


Sobre o tema, já o abordei anteriormente em belas apresentações. Vale conferir!

O silêncio da alma, o autor Neale Donald Walsch descreve o silêncio como uma forma de oração, pois tudo na vida é uma meditação na qual se pode contemplar o Divino.

Silêncio, Aldo Novak faz uma referência aos lobos, que não gritam porque tem a aura da força e do poder, e observam em silêncio.  

Escutatória, de Rubem Alves, apontando uma dificuldade que as pessoas têm: Mais importante que saber falar, é saber ouvir.

Com esta colcha de retalhos, tenho aprendido a silenciar mais... E você?