Dançando de rosto colado


Ontem assisti pelo satélite a comédia romântica “Odeio o Dia dos Namorados”, lançada em 2009 e estrelada por Nia Vardalos e John Corbett. Chamou-me a atenção a proposta de Genevieve, uma mulher que adora flores e o Dia dos Namorados, porque isso incrementa as vendas de sua floricultura. No entanto, ela evita relacionamentos e adota cinco encontros o máximo de vezes para sair com alguém. O amor se tornou um jogo para ela, e a vitória é garantida já que nunca se envolve o suficiente.

Em tempos modernos as relações passaram a ser superficiais, sem compromisso, sem vínculos. Dançar de rosto colado acaba sendo um paradoxo... A proximidade faz os pares se olharem com mais atenção, sentirem o perfume, o tato, e a oportunidade da conversa ao pé de ouvido - coisa que os jovens de hoje não conhecem como preliminares de um ato de sedução.

Abordei este mesmo tema na postagem A escolha de seu Par, de Stephen Kanitz, que sugere a dança de salão como meio de escolher o parceiro ideal e retrata as mudanças ocorridas com a dança através dos tempos e suas implicações.

Dançar de rosto colado... Um tempo mágico onde se flutuava pelo salão com pessoas especiais. Quem não dançou uma vez na vida de rosto colado, não sabe o que perdeu...


Vale lembrar que o dia 14 de fevereiro ficou marcado como a data de troca de mensagens amorosas entre namorados, nos países do hemisfério norte. No Japão existem dois dias dos namorados. O primeiro é 14 de fevereiro, quando as mulheres dão presentes e chocolates para amigos, namorados e afins. E no dia 14 de março é a vez dos homens retribuírem o presente. Você pode conferir a linda postagem sobre o Dia dos Namorados no Lost in Japan, de Alexandre Mauj.


2 comentários:

  1. Não tem muito a ver, mas você assistiu a Nia em Falando Grego (My life in ruins)? É meio pastelão, mas dei boas risadas!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Que bom ter sua visita, amigo Cidadão Araçatuba!
    Assisti Casamento Grego, e achei muito engraçado.
    Esse que você sugeriu, ainda não. Procurarei ver o filme.
    Meu forte abraço,
    Yolanda

    ResponderExcluir