Fácil e difícil


“Falar é completamente fácil, quando se têm palavras em mente que expressem sua opinião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.”

Uma grande obra do poeta Carlos Drummond de Andrade, que fala de coisas simples, mas difíceis de serem feitas... 

Lendo Drummond, lembro de já ter sorrido com vontade de chorar – o fato de ser risonha abriu-me portas em várias áreas de minha vida. Acho difícil seguir todas as regras, pois não gosto de me sentir pressionada. Sempre lutei pelos meus sonhos. Houve tempo que julgava menos as pessoas, mas aprendi que nem sempre é possível dar a outra face, depois de ter sido enganada ou prejudicada... Penso que quem pergunta o que quer, talvez ouça o que não queira... Acredito que eu seja amiga pra valer e digo sempre a verdade quando for preciso.

O ser humano é dono de uma inteligência fantástica, porém é incapaz de relacionar-se com o seu semelhante de forma igualitária e fraterna - esse tema foi abordado anteriormente em minha postagem intitulada Seres Humanos.

Faz-se necessário ser humildes, recatados e despidos de orgulho para conseguirmos superar nossas dificuldades com determinação, coragem e autoconfiança.

Melhor visualização na tela inteira (full screen)
Formatação: adsrcatyb@terra.com.br
Fundo musical: Tango to Evora, Loreena McKennitt

Algo pequenino


Sempre quando vejo um bebê, ou uma criança pequena, me encanto só de observar... Meus olhos brilham, um sorriso nos lábios inebria minha expressão e minha alma fica mais leve... O mesmo se dá com os animais – fico fascinada pela docilidade da expressão facial e pelos movimentos suaves e graciosos. Inevitável não sorrir...



Nesta apresentação, além de bonitas imagens de criaturas pequeninas, acompanha a canção interpretada por Daniel Diges García, ator e cantor espanhol, que representou a Espanha no Festival Eurovisão da Canção 2010, em Oslo, Noruega, com a música Algo Pequeñito, conseguindo o 15º lugar, a melhor colocação do país nos últimos seis anos. 

O Alfabeto dos Corpos


Nu artístico é a designação dada à exposição do corpo de uma pessoa nua para fins artísticos. 

Corpos unidos de um homem e uma mulher formando letras, num verdadeiro balé em ordem alfabética... Fazem da linguagem uma bela coreografia...

Beleza, paz e prazer do momento...


 
No Super da Hora, o proprietário do blogue disponibilizou as imagens individuais para formar palavras ou frases com o abecedário humano.

Nota: Procurei saber os nomes dos artistas da coreografia e o idealizador do trabalho, mas não encontrei.

Fundo musical: Saxofone, Jan Garbarek

Minhas filosofias favoritas


Esta breve existência terrena é uma ponte, não construas nela a sua morada, atravesse-a somente.

A escolha desta apresentação, além das belas imagens e frases sábias em cada slide, foi por causa do fundo musical “Once Upon a Time in the West”, tema do filme “Era uma vez no Oeste” (1968), estrelado por Henry Fonda, Charles Bronson, Claudia Cardinale e Jason Robards, dirigido por Sergio Leone.

No Cine Repórter você encontra a sinopse e crítica deste belíssimo longa-metragem.

É uma feliz lembrança de meu pai, que adorava os filmes de “faoreste”. Este, em especial, emociona-me toda vez que o vejo, embalada pela música, pela saudade do pai querido e pela atuação excepcional dos atores consagrados...

Formatação original: Procurando autoria
Adaptação para flash: Yolanda
Fundo musical: Once upon a Time in West, Enio Morricone

Vista esplêndida


Aprende a conhecer a fundo as coisas, em vez de construir tuas bases em ilusões. 

Imagens extraordinárias do fotógrafo sueco  Erik Johansson, acompanhadas de um bonito texto de otimismo.

Erik Johansson é um jovem estudante de Engenharia da Computação. Ele é muito criativo e tem sempre ótimas ideias para manipulação de  imagens, que é algo sempre interessante de se ver porque elas dão uma visão realista a uma imagem irreal.

Na entrevista do artista para o site  Abduzeedo  ele relata de onde veio sua inspiração para fazer esse tipo de trabalho.


Texto e formatação original: Procurando autoria
Fundo musical: Pero me acuerdo de ti, Christina Aguilera

Um jeito diferente de olhar o Salmo 23


Dedico esta postagem àqueles que estão sofrendo pela perda de seus entes queridos na triste tragédia ocorrida no Rio de Janeiro.


Nos noticiários não se fala de outra coisa, nem poderia... Imagens tristes, depoimentos comoventes, reportagens emocionadas, famílias desesperadas, que mesmo desoladas e sem chão, e que ficaram sem nada, não perderam a sua fé.

Solidariedade, consternação, apoio moral e material, doação de sangue, ajuda no resgate de crianças, idosos e pessoas convalescentes. Tudo tem sido feito pelos corajosos bombeiros e voluntários, gente do povo, desse povo brasileiro maravilhoso!

Somente depois de três dias é que a Força Nacional entrou em ação – se é que entrou, porque em atividade a televisão não mostrou - apenas apareceram, atrás do oficial dando a entrevista, carros “tinindo” de tão limpos e helicópteros estacionados no hangar da área militar. A explicação pela demora por causa da burocracia foi tão absurda quanto à ineficácia das autoridades locais (previamente alertadas) em retirar as famílias das regiões de risco... Pobre país, tão desgovernado...
Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias de minha vida. Isto é benção!
Adaptação para flash: Yolanda
Fundo musical: Don’t u, Era