O Retorno


“Ó Amigo! No jardim de teu coração,
nada plantes salvo a rosa do amor...”

Minha inquietude perante o ritmo alucinante que a vida moderna impõe, faz-me pensar por que o dia torna-se curto, o tempo fica escasso, as pendências se acumulam se tenho tanta tecnologia à disposição...

Impedida de me dedicar à net, por situações inesperadas, li numa das mensagens de minha caixa postal que uma amiga virtual estava levantando bandeira por não conseguir dar conta dos inúmeros e-mails e recados recebidos das redes sociais. O mesmo tem acontecido comigo – não sei se o cansaço ou a ansiedade contribuem para que minhas energias diminuam - simplesmente não consigo dar conta da leitura de mensagens como eu gostaria de fazer, tampouco frequentar com mais assiduidade os grupos dos quais participo, bem como marcar minha presença nas páginas de comentários.

Uma trégua é o que preciso, para reorganizar as ideias, renovar as energias e ir de encontro aos anseios de minha alma... Afinal, a vida é efêmera. Hoje estou e amanhã não sei...

Acompanhe esta ótima apresentação, editada e formatada pelo cordial amigo Um Peregrino, que gentilmente me concedeu a oportunidade de divulgar seu trabalho neste meu espaço. Bom texto para reflexão, que vincula a tragédia do homem moderno ao distanciamento de sua alma e que o torna prisioneiro da ignorância existencial.


Melhor visualização na tela inteira (full screen)

5 comentários:

  1. Oii querida Yolanda

    Ameiiiii o texto e essa apresentação, aparabens ao seu amigo.Realmente nessa correria do dia a dia, o homem esta cada vez mais distante dele memso, ou seja do seu eu, existe uma crise existencial muito grande, as pessoas tem medo do autoconhecimento.
    Acho que o homem so vai encontrar a verdadeira felicidade, quando ele se encontrar no mundo e se desprender doa valores materiais e dos dogmas que a sociedade impõe.

    Bjs no coração

    ResponderExcluir
  2. Agradeço a presença, amiga Mari.
    É preciso, de fato, resgatar valores há muito esquecidos...
    Meu forte e afetuoso abraço,
    Yolanda

    ResponderExcluir
  3. Yolanda, o tempo parece correr célere. Ontem era Natal e já estamos próximos dele de novo. Não só o tempo corre, mas tudo o mais. É preciso mesmo tirarmos alguns meninos diários para acertar nossos relógios. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. Agradeço a presença, amigo Expedito!
    Concordo com você que o tempo tem passado muito rápido... Acertarei meu relógio, sim!
    Um grande abraço,
    Yolanda

    ResponderExcluir
  5. Yolanda, voltando, rapidinho: postei este arquivo powerpoint da postagem no meu blog, colocando a fonte, é claro. Espero que goste. Um grande abraço!

    ResponderExcluir