Meu voto, meu Futuro

Manifesto em Defesa da Democracia
"A sabedoria é sem limites, e quanto mais alguém se aproxima dela, mais importante ela se tornará para sua vida. Todo indivíduo pode sempre aprimorar-se." (Leon Nikolaievitch Tolstoi)

Ah olha, cada dia que passa, eu fico com menos vontade de votar em qualquer um dos dois, é critica para lá, maus tratos para cá, fica muito difícil! É bom sempre aparecer mais e mais opiniões e situações, mas mesmo assim anda sendo complicado, eu queria entender, mas até agora nada! (comentário encontrado numa rede social)
Pensando nessa frase, resolvi deixar aqui meu parecer depois de pesquisar sobre o tema e ter definido meu voto, pois é o meu futuro que está em jogo. Não vou discorrer sobre as propostas apresentadas pelos presidenciáveis ou promessas de campanha, pelo simples fato de que os comentaristas e cientisas políticos já falaram muito bem e continuam falando a respeito, com grande habilidade, o que têm contribuído, e muito, para formar minha opinião. Minha análise se dá pelo discurso dos dois candidatos - passei a entender melhor por esse ângulo. 

No livro de Eni P. Orlandi, “Análise de Discurso – Princípios e Procedimentos”, o autor tem como proposta levar à reflexão sobre a linguagem, o sujeito, a história e a ideologia, através do contato com os princípios e os procedimentos analíticos que expõe, quando confrontados com a linguagem e, por ela, com o mundo, com os outros sujeitos, com os sentidos, com a história.

"Pelo discurso, lugar de produção de sentidos e de processos de identificação dos sujeitos, podemos melhor compreender o lugar da interpretação na relação do homem com sua realidade.”

“É útil distinguir algo que faz parte da reflexão da Análise do Discurso como um seu princípio. É a distinção entre o real e o imaginário. O que temos, em termos de real do discurso, é a descontinuidade, a dispersão, a incompletude, a falta, o equívoco, a contradição, constitutivas tanto do sujeito como do sentido. De outro lado, no nível das representações, temos a unidade, a completude, a coerência, o claro e distinto, não há contradição, na instância do imaginário. É por essa articulação necessária e sempre presente entre o real e o imaginário que o discurso funciona.”

Baseada nesse princípio, eu comecei a observar o comportamento dos presidenciáveis: a expressão facial e corporal, o olhar direto para o telespectador, o sorriso, o tom usado, a linguagem, a articulação das palavras, a fala cadenciada, a exposição do pensamento... Por fim, a retórica de campanha. Claro está que o treino e o tempo de estrada ajudam, por isso existe tanto político gesticulando da mesma maneira (repare!). Mesmo assim, não dá para esconder a essência daquilo que se é...

Serra tem o perfil ideal para seu um grande estadista. Serra é mais a minha cara!
“A democracia é uma construção coletiva e a liberdade de um povo não pode ser submetido a interesses individuais ou partidários.”

Então, por que Serra?

"Porque oito anos é mais do que o suficiente para um partido liderar o governo. É preciso haver uma alternância no comando do país para evitar que um partido tome conta de tudo."

"Estou preocupado com o futuro político do meu país, até porque lá está também o meu futuro e o futuro do contingente social do qual faço parte."

"Não adianta ficar brigando por este ou por aquele candidato, o que importa é que você tenha suas convicções e faça delas sua base de apoio, mas sabendo dos benefícios e falhas daquele em que seu apoio está ancorado."

"Um dos mais poderosos meios de fazer valer nossa opinião é a palavra, que bem empregada, pode chegar ao convencimento."

Essas opiniões, colhidas das redes sociais nos últimos dias, expressam bem minha forma de pensar, já que os candidatos à presidência foram apresentados para a "nossa" escolha nas urnas. Portanto, prefiro votar naquele que considero o mais qualificado.



Concluí, então, que o candidato à Presidência da República, José Serra, tem a maestria da palavra. Tendo sido professor, sua exposição é pedagógica e clara. Sua segurança é nítida. Seus gestos e fala são serenos e persuasivos, sem ser contundente. Suas respostas são tranqüilas e seus argumentos sólidos - não há contradições no seu discurso. Abraça o povo na rua, se mistura à massa, e convence pela simpatia e proximidade com a população. Sua larga experiência na carreira política e seu firme propósito de trabalhar para um Brasil melhor dá o tom de sua campanha.
"Não deixe que as pesquisas decidam por você e pelos brasileiros. Não deixe que subestimem sua inteligência e o submetam à corrupção, mentiras e a espertezas. No próximo domingo vote pela verdade e pelo exemplo." (Fragmento de e-mail recebido por Edsom Ortega)
Confira a opinião da ex-presidenciável Marina Silva


"Que candidato tem ideias mais parecidas com as suas?"

9 comentários:

  1. O problema das novas democracias. Será que a democracia, não se esgotou pela mão dos homens? Penso que o modelo de democracia actual se encontra desvirtuado na sua essência.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela presença, amigo Carlos.
    Infelizmente os homens amam o poder e quando o usam, o fazem em causa própria...
    Ainda assim, acredito e o que me move está contido na seguinte frase:

    "Tudo pode ser tirado de uma pessoa, exceto uma coisa: a liberdade de escolher sua atitude em qualquer circunstância da vida, ou seja, o seu livre arbítrio”

    Abraços
    Yolanda

    ResponderExcluir
  3. No Brasil, tudo é culpa do governo ou graças a Deus.
    Ninguém assume as rédeas da própria vida.

    ResponderExcluir
  4. Muito de verdade nessa sua frase, Ari.
    Culpar alguém pelas agruras da vida é fácil, como se lamentar também.
    Incomoda a mim perceber que, enquanto essas pessoas se lamentam, alguém se declara o "Salvador da Pátria"... E os tolos o seguem...

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá Yolanda! Será um prazer ter você comigo na luta contra esse mal que é a violência infantil. Aceite este selo e junte-se a nós no combate!

    http://www.pediatriabrasil.com.br/2010/10/ajude-combater-violencia-infantil.html

    ResponderExcluir
  6. Olá, Yolanda!
    Meus sinceros parabéns; amei o seu post! Um artigo que deixa transparecer o âmago do eleitor, aquele eleitor singelo, que só quer fazer de seu voto o melhor uso possível. Quem dera, todos raciocinassem como você: 'não irei me tornar PhD em política da noite pro dia, mas também não perderei a oportunidade de tentar conseguir o melhor para o meu futuro'.
    Maravilhoso também , o video que vc apresenta, onde a mensagem é assim resumida:'a Democracia é uma construção coletiva e a liberdade de um povo não pode ser submetida a interesses individuais ou partidários' - É fato: o Brasil é muito mais e maior do que isso! Enfim, esse seu post merece nota 1000!
    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  7. Obrigada pela visita, Marcello.
    Já me engajei na luta com você para proteger as crianças do mundo inteiro...
    Meu abraço,
    Yolanda

    ResponderExcluir
  8. Sempre muito gentil, amiga Neusa.
    Expressei nesta postagem meu verdadeiro querer: o de ter um representante preparado, experiente e disposto a fazer o melhor para este imenso Brasil.
    Fico feliz que tenha gostado.
    Espero que eu tenha contribuído para a decisão de algum eleitor.
    Meu carinhoso abraço,
    Yolanda

    ResponderExcluir
  9. Olá Yolanda, bom dia querida,
    Aproveitando a oportunidade, gostaria de retificar a informação do sorteio dos livros da promoção do mês de agosto, eu havia dito a vocês seguidores, o que foi um erro de minha parte, para escolherem os livros, mas a promoção esta crescendo de um jeito, que impossibilita este método, e me torna até mesmo injusta com alguns, pois que o objetivo desta é a igualdade entre todos, leitores e leitores, escritores e escritores, por este modo, resolvemos, eu e os novos autores, em apontar o livro e fazer o sorteio deste, de modo em que a equidade e a paridade norteiam o evento. Este será dia 10/08, via youtube, depois exposto o vídeo no blog para o conhecimento de todos. Abraços.

    ResponderExcluir