A experiência da separação


Quando soube que ele iria embora, pensei que eu pudesse aproveitar o tempo para colocar minha leitura em dia, assistir alguns filmes pelo satélite, organizar papeis na minha escrivaninha, experimentar novas receitas que guardo no meu caderninho... Mas, esse entusiasmo durou umas 12 horas. Comecei a sentir a falta dele... Levou alguns dias para “ele” voltar. Ah... Não pude disfarçar minha alegria! Fiquei tão feliz!

Tudo começou na semana passada, quando deu pane no meu notebook. Ao saber que ficaria alguns dias longe de casa, na manhã seguinte eu já estava sentindo saudade dele, dos e-mails, das notícias... Comecei a ter sintomas de extrema ansiedade.

Finalmente, ele voltou... Do conserto. Apesar de minha felicidade por tê-lo de volta, agora estou ansiosa por causa da quantidade de e-mails que tenho acumulados - sei que levarei alguns dias para colocar em ordem - talvez alguns eu não consiga ler, e nem todos conseguirei responder. Minhas postagens nos blogs que administro estão atrasadas. Minhas pesquisas paralisadas, mas o mais importante é que “ele” está de volta: meu querido notebook!

Em assim sendo, insiro nesta postagem uma adaptação do PPS “Cartoon Classics” para descontrair... Afinal, rir continua sendo o melhor remédio!

E você, meu querido leitor, já passou pela experiência de separação do micro?
Formatação original: Procurando autoria
Fundo musical: Potpourri de Samba

10 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkk isso sim quando vai embora
    causa uma grande ausencia
    sentimos falta
    choramos
    arrangamos os cabelos kkkkkkkkkkkkkkk
    bjim guria

    ResponderExcluir
  2. Dramático, não é Juci?
    Que bom que fiz você sorrir...
    Meu carinhoso abraço,
    Yolanda

    ResponderExcluir
  3. Yolanda,
    Ao ler a sua postagem eu comecei a rir, pois me encaixei perfeitamente dentro do seu texto.
    Fiquei mais de uma semana sem meu PC, e agora que "ele" ficou pronto, estou tendo que colocar em dia todas as minhas coisas, e ainda não consegui responder a todos os e-mails e nem colocar as minhas pastas em ordem.
    É muito difícil mesmo ficarmos sem o nosso companheiro diário. rsss
    Parabéns pela postagem.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Pois é, Estela. Tornamo-nos dependentes virtuais... Mas que a gente passa momentos descontraídos, isso não se pode negar...
    Obrigada pelo prestígio.
    Meu afetuoso abraço,
    Yolanda

    ResponderExcluir
  5. Yolanda, minha querida!!!
    Eu também dei muita risada porque o meu note pifou na semana passada! Acho que o levei à exaustão de tanto que fico com ele ligado. Mas, para a minha sorte, meu marido (já prevendo a minha neura) gentilmente me deixou o dele. O engraçado é que mesmo estando com o dele, tudo me era estranho e confuso. Saudades do meu teclado, dos meus "favoritos", das minhas fotos...rsrsrs...Então, hoje, para a minha grande felicidade, meu marido trouxe o meu "amigão" de volta e ele disse que a minha cara parecia de criança quando ganha um brinquedo!!! rsrsrs...
    Te entendo perfeitamente, amiga!!!
    Grande beijo,
    Jackie

    ResponderExcluir
  6. Oi, Yolanda!
    Nossa, sou totalmente solidária a ti quanto a essa angústia que nos apresenta quando nos separamos desse bichinho de estimação virtual....kkk Li uma matéria outro dia que falava de não se deixar consumir pelas redes sociais....será que estamos tão carentes assim ao ponto de trocar uma roda de conversa por um bom bate-papo pela net? Enfim, acho que o que importa é a qualidade da conversa, seja por onde ela for e graças a net podemos nos comunicar assim, mesmo à distância, trocar opiniões a respeito de assuntos que nos interessam.
    Bom retorno ao mundo virtual!!! rs
    Um grande beijo!
    Domitila.

    ResponderExcluir
  7. Bem, qualquer coisa que a gente se apega vamos sentir falta, aliás conseguimos sentir falta até da mulher .... rsrsr

    ResponderExcluir
  8. Ah... ainda bem que não sou só eu que sinto falta "dele"... rs
    Hoje, no almoço, meu querido e compreensivo companheiro comentou que se ele precisasse se ausentar eu não sentiria tanto quanto os dias que o PC ficou fora de casa... Pode?
    E, dengosa, piscando os olhos, respondi: "Imagine, meu bem!!"
    Obrigada pelo apoio, Jackie!
    Meu carinhoso abraço,
    Yolanda

    ResponderExcluir
  9. Oi, querida Domitila.Agradeço a solidariedade...
    Concordo com você quando diz que não podemos trocar bons papos pessoais pelo virtual. Mas, cá entre nós, nas redes sociais temos o privilégio de encontrar pessoas alegres e dispostas a compartilhar suas experiências.
    Como no mundo real, nos aproximamos de pessoas que tenham os mesmos interesses, princípios e empatia.
    Obrigada pela visita, querida amiga!
    Beijos
    Yolanda

    ResponderExcluir
  10. Olha, só! Como eu sei que é brincadeirinha, porque "nós, mulheres" somos insubstituíveis... (pelo menos que eu saiba não tenho clone...), então relevo!
    Obrigada pelo prestígio, amigo Joselito.
    Meu afetuoso abraço,
    Yolanda

    ResponderExcluir