Almas perfumadas

Melhor visualização na tela inteira (full screen)

Eu havia postado esta apresentação anteriormente como sendo de Carlos Drummond de Andrade e, alertada por uma visitante, fui conferir e constatei que o poema é da autoria de Ana Claudia Saldanha Jácomo, a quem dou os devidos créditos, na graciosa formatação de Ney de Castello.

O poema é um afago no espírito e um beijo no coração.

Vale ouvir esta pérola, no blogue do amigo Milton Neves Jr: Almas Perfumadas na voz de Evelinn

4 comentários:

  1. Este texto nao é de Drummond, é de Ana Claudia Saldanha Jácomo, a mesma ESCREVEU para a sua avó Edith

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Nalva, pelo alerta.
    A apresentação já foi trocada com os créditos de Ana Claudia Saldanha Jácomo.
    Meu abraço,
    Yolanda

    ResponderExcluir
  3. Essa obra-prima da Ana Jácomo tem um significado muito especial pra mim. Era o texto preferido da minha Eve, que a gravou anos atrás, antes de se tornar, ela mesma, um perfume de Deus que mudou de frasco, assim como a já tão nossa querida avó Edith.

    Quando tiver um tempinho, Yolanda, escute a gravação contida neste link:

    http://miltonnevesjr.blogspot.com/2009/04/almas-perfumadas.html

    Obrigado por compartilhar tantas coisas lindas em seu blog.

    @}-;-'--

    ResponderExcluir
  4. Amigo Milton, eu é que agradeço a indicação do link com o poema Almas Perfumadas na voz de Evelinn. Encantei-me com tanta ternura e amor que ela conseguiu transmitir...
    Sua visita para mim é uma alegria!
    Meu sincero abraço,
    Yolanda

    ResponderExcluir