Meus oito anos

Melhor visualização na tela inteira (full screen)

Formatação: Isa Quintanilha

Poema de Casimiro de Abreu, na bela interpretação de Paulo Autran. Os versos nos transportam para uma época de inocência e contato com a natureza, que só quem viveu entende e se emociona com as lembranças de uma época feliz.

“Oh! que saudades que tenho

Da aurora da minha vida

Da minha infância querida

Que os anos não trazem mais!”

Um comentário:

  1. oi Querida, so vim agora, por que tenho outro blog graceolsson.com/blog e graceolsson.se/mittliv, onde posto trabalhos de fotografias.
    Estou feliz que tenhas curzado meu caminho.bjs
    grace olsson

    ResponderExcluir