Morre lentamente


Melhor visualização na tela inteira (full screen)

Formatação: Gladis Maia

Adaptação baseada no texto “Quem morre” de Pablo Neruda, poeta chileno que buscou no lirismo a lucidez para construir um mundo livre das injustiças, nos deixou muito mais do que sua belíssima obra. Ele nos ensinou, nos ensina e continuará nos ensinando e nos revitalizando através de seus versos, de suas metáforas, seus sonhos que ainda hoje são atuais e compartilhados.

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples fato de respirar. Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio esplêndido de felicidade”.

0 comentários. Para comentar clique aqui.:

Postar um comentário